terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Comitê organizador local fala na abertura do Fórum Social Mundial Temático 2016 em Porto Alegre

Na coletiva de imprensa de abertura do Fórum Social Mundial Temático em Porto Alegre (RS), no Brasil, um dos representantes do Comitê Organizador Local, Mauri Cruz (Abong) e Malu Viana (HipHop) deram o tom dos debates que vem e dos desafios a serem enfrentados e construídos diante do cenário global da atualidade.

Vinicius Borba lança livro no Fórum Social Mundial Temático 2016 em Porto Alegre

O "Sarau Fora da Ordem: arte e cultura por um mundo melhor possível" ocorrerá na sexta-feira 22 }ás 14h na Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre, durante a programação do FSM. Vinicius Borba, que lança o livro no evento, teve trajetória ligada a construção do Fórum desde 2002. 

O "Sarau Fora da Ordem: arte e cultura por um mundo melhor possível" promove o lançamento do livro de poesias Fora da Ordem, do poeta e jornalista Vinicius Borba, militante periférico do coletivo Radicais Livres S/A, do Distrito Federal. O evento recebe na sexta-feira 22 também a participação dos rappers gaúchos do grupo Rafuagi, de Esteio (RS). O evento ocorre no espaço Territórios Sem Fronteiras, na Casa de Cultura Mário Quintana, tradicional teatro porto alegrense. Vinicius, que é gaúcho mas está radicado no DF e milita há 12 anos realizando saraus pelos Radicais Livres S/A, promove o debate sobre o papel da arte e cultura na resistência por esse mundo melhor possível.

Poeta Fora da ordem, o autor teve trajetória no FSM
Porto alegrense desde o Fórum Social de 2002. Vinicius militou com os movimentos anarquistas gaúchos quando participou das primeiras edições do Fórum na capital. Dessa atuação e vivências foi à periferia de Brasília, na comunidade de São Sebastião DF, donde até hoje realiza saraus e agora traz seu primeiro livro de poesia, o Fora da Ordem. O livro debate direitos humanos, direitos dos manos, temas nacionais da política e politicagens atuais com tom ácido de critica, bem como questões internacionais como no poema Refugiad@s. Extermínio da juventude, e poemas de amor como o escrito para sua amada também permeiam o livreto, ilustrado pela artista plástica Carlione Ramos, também militante periférica de São Sebastião.

Serviço:
Sarau Fora da Ordem: arte e cultura por um mundo melhor possível
Lançamento do livro Fora da Ordem, de Vinicius Borba
Dia 22/1 (sexta), às 14h
Casa de Cultura Mário Quintana, Teatro Carlos Carvalho, espaço Territórios Sem Fronteiras, Fórum Social Mundial Temático – Porto Alegre 2016
Entrada Franca
Classificação livre


Evento face: https://www.facebook.com/events/907298569365836/ 


Conheça o livro: http://issuu.com/viniciusborba0/docs/fora_da_ordem_hiper_poemas_de_vinic

Assista vídeo do poema: https://www.youtube.com/watch?v=n_Bv0wtGBCs



--
Vinicius Borba
Assessoria de imprensa/ Produção Cultural/ Mestre de Cerimônias
(61) 3339 0782/ 8551 1075

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Vinicius Borba participa da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara recitando "Não Me Representa"

Numa performance forte Vinicius Borba questiona a representatividade do Congresso Nacional dentro da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.
FORA CUNHA EM POESIA NA CDHM DA CÂMARA_POETA VINICIUS BORBA

[FORA DA ORDEM NA CÂMARA DOS DEPUTADOS: NÃO ME REPRESENTA]Vinicius Borba recitou o poema "Não me representa" pedindo na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados pelo FORA CUNHA. Vinicius lembrou da confusão manipulada pela mídia e pelas elites brasileiras e do exterior após as manifestações de junho, que culminaram com a eleição do Congresso Nacional mais reacionário desde a ditadura militar no Brasil. Espalhe essa mensagem, reflita e compartilhe nos seus grupos!

Posted by Vinicius Borba on Quinta, 10 de dezembro de 2015

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

AGENDA LANÇAMENTOS FORA DA ORDEM_POESIAS DE VINICIUS BORBA

AGENDA LANÇAMENTOS FORA DA ORDEM_POESIAS DE VINICIUS BORBA

 Serviço


 Lançamento do livro Fora da Ordem, poesia de Vinicius Borba

 Agenda de Lançamentos

 Distrito Federal (Entrada Franca)

15/11 – DOM - 16h30 – III Pipocando Poesia – CCBB – Brasília
 
17/11 – TER -  20h00 -  SarauVA – Espaço Cultural Leão de Judá -  Ceilândia N– P-Norte                        EQNP 9/13   (Frente a Feira do P-Norte)

19/11 – QUI - 20h00 – Poesia de Quinta – Espaço Natural, Qd. 104 - São Sebastião DF

20/11 -  SEX – 20h00 - Libertad – Consciência Negra – Casa Frida , Bairro do Bosque, S.S.

21/11 – SAB – 15h00 – Sarau da Consciência Negra - Coletivo Inove – Centro Ed. 01 de                          São Sebastião  (Centrão)

11/12 -  SEX - 19h00 - Sarau na Barbearia Cultural - Guará

12/12 -  SAB -20h00  - Sarau da Tribo - Autêntico Bar - CSA 02 Lote 20 Loja 02
             Taguatinga Sul, BRasília – DF

 São Paulo

23/11 - SEG - [SP] - Encontro municipal de Religião de Matriz Africana

 24/11 - TER - [SP] Sarau da Cooperifa – 20h - Bar do Zé Batidão (Zona Sul)

 25/11 - QUA - [SP] Sarau Samba Original - 20h - Associação Zumaluma, Rua Cerqueira Cesar,                703 (Jd. Santa Teresa) - Embu das Artes - SP

 28/11 - SAB - [SP] Sarau Preto no Branco – 20h - Bloco do Beco – Jardim Ibirapuera (Zona Sul)
 
 29/11 - DOM - [SP] Participação no XVII Encontro Regional de Teatro Amador de Campinas -                 Campinas
 
Goiás

 Dezembro ( Em fase de produção)
 
 Rio Grande do Sul

20/01/16 - Fórum Social Mundial – Porto Alegre 

 Vinicius Borba

 Assessoria de imprensa/ Produção Cultural/ Mestre de Cerimônias
 viniciusbae85@gmail.com
 (61) 3339 0782/ 8551 1075

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Vinicius Borba lança o livro de poesias Fora da Ordem


Debatendo direitos humanos, direitos dos manos -- como define o poeta -- e a realidade das periferias do DF e do Brasil será lançado o primeiro livreto poético hipertextual de Vinícius Borba, o Fora da Ordem. O autor, que realiza saraus há 12 anos pelo Coletivo Radicais Livres S/A em São Sebastião e outras comunidades do DF, chega agora discutindo os extremos das atualidades, a situação do Congresso Nacional e seus retrocessos, refugiados e as violações de direitos em curso. O lançamento inicial ocorre no Centro Cultural do Banco do Brasil pelo Projeto Pipocando Poesia, no próximo dia 15, e tem uma agenda de espetáculos marcados em outros eventos na comunidade do autor e cidades do DF, além de agendas em São Paulo, Rio Grande do Sul e Goiás.

Foto: Ana Rabelo_Coletivo Palavra
Dentre as poesias do livro, textos como “Não me representa” (http://bit.ly/1MCktzO) marcam a ácida crítica política ao atual cenário do país, lembrando as conseqüências eleitorais dos usos dados aos atos das Jornadas de Junho, que agitaram o Brasil. Noutras como no poema “Pois sou poeta” (http://bit.ly/1PqA9vc), Vinicius relaciona espiritualidade e profecias apocalípticas com o fato de ter tido filhas em tal época, brincando com sua realidade e com os receios que pairam sobre a humanidade nesses tempos. Escreve também sobre a realidade de São Sebastião, comunidade onde vive e constrói sua trajetória, mesclando o amor a sua cidade e denúncia das agruras da violência contra a juventude de uma das comunidades ainda aturdidas pela guerra de gangues.


“Procurei debater do meu ponto de vista essa história toda, esse processo de lutas e aflições pelas quais temos vivido e passado, sem muitas vezes refletir sobre o dia a dia e nossas histórias humanas para além da politicagem. Discuti também temas como a Juventude, na qual muita gente deposita confiança para a renovação de um planeta em crise, mas que nem sempre está preparada para enfrentar tais desafios sem o risco de se corromper”, afirma o poeta. Para ele, estar “Fora da Ordem” hoje é buscar práticas, valores sustentáveis e uma nova consciência em todos os aspectos, mas especialmente no trato uns para com os outros, combatendo preconceitos e lutando por direitos.

Para Vinicius, que viveu as lutas populares dos últimos 13 anos do DF, desde o Movimento do Passe Livre, passando pelo coletivo Radicais Livres S/A com o qual realizou mais de 300 saraus pelas periferias do DF e em São Sebastião até as Jornadas de Junho, o momento é importante para reflexão e debate sobre os valores humanos. A dignidade da vida é o motivo pelo qual abordou temáticas de direitos humanos. “Como morador de perifa e jornalista atuei nestas áreas, assim como assessor e militante em direitos humanos. Acho que o mundo pode sim viver com mais amor. Mas terá ainda que aprender a dar controle a suas violências e ganâncias para chegarmos lá”, acredita.

Um dos textos trata de sua história de amor com a professora, contadora de história  e musa, Francineia Alves, no texto Sarau Enamorados (http://bit.ly/1MCkDaq). Num tom cômico ele comenta como encontrou a esposa em três saraus seguidos até o desfecho com sua “Dulcineia”.
Carlione Maria Ramos_ilustrações
 Fora da Ordem

Lançamentos nacionais
Os lançamentos ocorrem a partir do III Pipocando Poesia no CCBB, dia 15 e seguem com vários espetáculos e intervenções nas satélites do DF e saraus das comunidades. No dia 22 de novembro inicia lançamentos em São Paulo, até o dia 30, rodando alguns municípios do interior e principais saraus da periferia da capital, além de lançamentos em Goiás em dezembro e no Rio Grande do Sul, terra natal do autor no Fórum Social Mundial, em janeiro.

Hipertextualidade
Além de impresso o livro será lançado também para download gratuito pela internet, em versão hipertextual, na dinâmica da Arte de Interface, como definido pelo Coletivo Palavra, com o qual o poeta também atuou. Vários links de reportagens, vídeos, músicas e outras influências do autor serão ali dispostas para debate e ampliação de sentido dos poemas. (A partir do dia 15 no link ( http://issuu.com/viniciusborba0 ).

Ilustrações
As ilustrações são de Carlione Maria Ramos, artista plástica mineira radicada no DF, especialmente em São Sebastião. A artista iniciou sua produção em artes visuais com materiais reciclados do lixo, e hoje cursa design e artes visuais na Universidade de Brasília (UnB), com belíssimas obras como os ensaios em grafite que ilustram o livro Fora da Ordem.

Ficha técnica
Fora da Ordem - Poesias e diagramação: Vinicius Borba; Ilustração: Carlione Ramos; Capa: George Gregory - 1ª ed. - São Sebastião - Brasília (DF): Ed. do Autor, 2015. 36 p.; 21x14 cm.
1. Poesia. 2. Literatura Divergente. 3. Resistência rimada.


Acompanhe pelas páginas 
http://issuu.com/viniciusborba0 (Versão hipertextual para download)
www.viniciusborbablogspot.com
Facebook.com/PoetaViniciusBorba


Serviço
Lançamento do livro Fora da Ordem, poesia de Vinicius Borba
Ilustras Fora da ordem_Carlione
Maria Ramos
Agenda de Lançamentos

Distrito Federal (Entrada Franca)
·      15/11 – DOM - 16h30 – III Pipocando Poesia – CCBB – Brasília
·      17/11 – TER -  20h00 -  SarauVA – Espaço Cultural Leão de Judá -  Ceilândia N– P-Norte EQNP 9/13 (Frente a Feira do P-Norte)
·      19/11 – QUI - 20h00 – Poesia de Quinta – Espaço Natural, Qd. 104 - São Sebastião DF
·      20/11 -  SEX – 20h00 - Libertad – Consciência Negra – Casa Frida , Bairro do Bosque, S.S.
·      21/11 – SAB – 15h00 – Sarau da Consciência Negra - Coletivo Inove – Centro Ed. 01 de São Sebastião (Centrão)

São Paulo
24/11 – TER- [SP] Sarau da Cooperifa – 20h - Bar do Zé Batidão (Zona Sul)
28/11 – SAB- [SP] Sarau Preto no Branco – 20h - Bloco do Beco – Jardim Ibirapuera (Zona Sul)

Goiás
Dezembro ( A confirmar, em fase de produção)

Rio Grande do Sul

20/01/16 - Fórum Social Mundial – Porto Alegre 

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Sarau Enamorados, do livro Fora da Ordem

Carlione Maria Ramos
Por Vinicius Borba

 A vejo... no sopé da porta.
 E penso se peço beijo,
 Não peço, não posso.
 Beijo não se pede, se rouba!

A vejo... num Sarau Alternativo.
E penso se tento a sorte?
Mas olho... Tem macho à roda.
E meço palmo a palmo a largura dos ossos...
Pois vai que o tal corno se incomode.. Hum!
Minha vida? O pouco que me resta?
Sempre tive o tal medo da morte
E mais vale um covarde vivo,
Que o herói presunto besta, no pacote.

A vejo, num Sarau da Tribo.
Até que o mosca véio... quase não varejeira...
Quase não varejeirava!
Mas tava todo no prumo,
As tranças trançadas, no rumo,
Daquela que então me bicava:

E zóia eu. E zóia ela...
E um tal de não sei qual foi
que inventei de ir na mesa mais perto da dela,
E soltar uma piscadela
Para ver se não tinha jeito.

Pra quê!??

Pois começa então
Aquele tal de forró,
Bom de agarrar e não mais ficar só.
Que fui me desavexar..
Pois já tava só o pó,
Mas não tinha a cara de chegar.

Tumei três quatro goro,
Foi que então eu me enfezei:
-- Agora eu chego nessa mulher!
E a ela me projetei.
E a cada passo que eu dava...
O intestino soprava (...)
E o frio me arrefecia.
A menos de um metro e meio do “rela bucho” do amor...
Sentei na cadeira outra vez.

O zóin dela chega entristece.
Pois não é que num só passe,
sua pele se enrubece
Enchendo de indignação
Me pega pela mão
 Puxa para ralar... E disse:
--Bora dançar, Cabra frouxo!
Eu disse: -- Arrocha!
Bote a mexer os cachos
Que é hoje que eu tiro o atraso!

Pra quê?!

Pois foi no Riacho Fundo II,
Que fui confirmar minha sina.
Duas semanas depois lá estava,
Tão linda, tão bela, Dulcineia!
Num frevo dos cumpade comum,
Que abonam a nossa história.

E desde então é assim,
No susto do início,
Na certeza do agora,
Um sentimento que cresce no peito
E neste frenesi
Dos acontecimentos
é que a gente Se enrosca,
se ama, se namora.

E dou gritos a desvairada patuleia:
--Moças de meu passado próximo!..
Convivas da esbórnia e boemia.
A primeira dama... já está de posse!
Dulcineia, Dulcineia, Dulcineia!
E que venham os moinhos de Cervantes!